GIGANTES ALVIVERDES

 

Palmeiras x Chapecoense é um duelo rico de histórias. Sejam elas boas e ruins. Alegres e triste. Com lágrimas ou risos;

O primeiro confronto entre as equipes, ocorreu na amarga (para nós) série B, em 2013. Para eles, a segunda divisão era o melhor lugar do mundo, pois foram subindo de degrau em degrau para estarem lá. Foi na Arena Conda e perdemos por 1 a 0 com gol de Bruno Rangel… Nosso time fazia as pessoas chorarem: Fábio, Wendel, Thiago Martins, Tiago Alves, Juninho, Eguren, Renatinho, Charles, Felipe Menezes, Serginho e Alan Kardec, para completar o técnico era Gilson Kleina.

Na segundo vez que nos reencontramos, tudo ficou no 0 a 0. Seria eles uma pedra em nosso sapato? O futuro iria responder, alguns anos depois.

O encontro de 2014 foi com um sabor especial para eles, afinal, finalmente estavam na séria A. E lá vamos para a Arena Conda novamente… E perdemos, de novo. 2 a 0. Três pontos que iriam fazer falta, pelo sufoco que passamos esse ano. No duelo de volta, recebemos eles em casa e conseguimos um 4 a 2, que nos livrou da zona de rebaixamento.

E ficou para 2015 um encontro que quando lembramos, dava raiva e até tristeza: O primeiro jogo, foi tranquilo para nós: 2 a 0 em casa e tudo certo. Mas no segundo encontro… O time catarinense estava na zona de rebaixamento e com todos indícios de que iria cair. O Palmeiras foi até a Arena Conda e – sem desmerecer a Chape – era o favorito, sem sombra de dúvidas. Mas o destino quis que Fernado Prass tomasse CINCO gols da Chape; o primeiro foi de Neto… Depois vieram Camilo, Túlio, Apodi e o último foi de Ananias… Dudu ainda marcou um para o Palestra, mas de pouco adiantou. A “tragédia” já tinha acontecido e foi doloroso para nós, Palmeirenses e surreal para os torcedores da Chape. Eles com esse resultado, saíram no Z4 e conseguiram se manter na elite do futebol.

No ano seguinte, o primeiro confronto entre eles foi em Chapecó e não ouve goleada, mas sim um empate em 1 a 1, com gol de Kempes para eles e Jean, para nós. Pois é, a gente tinha uma grande TABU contra eles em Santa Catarina, não conseguíamos ganhar lá.

 E chegou aquele 27 de novembro. Era o dia mais esperado por nós, afinal, depois de 22 anos estávamos a um passo de sermos os campeões do brasileiro e faltava somente um pontinho, que iriamos disputar com eles. Ganhamos de 1 x 0, com gol de Fabiano e fizemos muita festa. Eles estavam pertinho de conquistar a Sul-Americana, naquela semana iriam enfrentar o Atlético Nacional, na Colômbia, time do Borja.

Fazíamos festa no Allianz Parque e eles estavam comemorando conosco. Todos desejavam sorte para eles e torciam por eles na competição. Nossas lágrimas escorriam, pelo título e até pela despedida de Gabriel Jesus, nosso menino de ouro já estava com as malas prontas para a Manchester City…

O que não sabíamos, era que também estava sendo a despedida de GIGANTES… Afinal, todos sabemos o que aconteceu menos de 48 horas após toda essa festa. Virou luto. Foi triste e até hoje, machuca.

Quis o destino, que o Palmeiras tomasse gol de nomes como Bruno Rangel, Ananias, Kempes… Jogadores que foram vitimas fatais do acidente. Quis o destino que mais de 40 mil torcedores presentes no Allianz naquela tarde de 27 de novembro, fossem os últimos a ver aqueles homens jogarem.

Desde esse fato trágico, sempre que ambas equipes se enfrentam, não tem como não passar um filme em nossa cabeça. O respeito e admiração pela Chape é gigante. E o que eles têm conosco, também.

Em 2017, o tabu da Arena Conda não fora quebrado: Perdemos de 1 x 0 lá e ainda de 2 x 0 em casa.

Chegou 2018 e o primeiro duelo foi no Palestra e empatamos em 0 a 0. E ontem (02/09), finalmente quebramos o Tabu diante deles. E por alguma ironia do destino, quem abriu o marcador foi Hyoran, o jovem que era jogador da Chape em 2016, não viajou para a Colômbia, por motivos de já ter acertado com o Palmeiras e se emociona ao lembrar disso e o outro gol foi marcado por Borja, o ex-jogador do Atlético Nacional, time que seria o adversário daquela partida que nunca aconteceu…

Poucos jogos na história entre os times alviverdes. Mas muita história, emoção e comoção.

Palmeiras e Chape é um duelo a parte do campeonato brasileiro.

O VERDE É INCRÍVEL